Olá, amigos!

A Rede Omnes Angeli foi criada para ajudar a causa animal, com divulgação clara, incisiva e responsável de artigos com relevância para os amantes de animais.

Essa rede é formada por um conjunto de mídias, como esse blog, Twitter, Facebook, Youtube e dois endereços de e-mail para as futuras interações com vocês.

Nosso objetivo é divulgar campanhas de auxílio a essa causa, como programas públicos (ou com parcerias) de castração e vacinação, artigos sobre saúde e bem-estar dos bichinhos, etc.

Não possuímos abrigo, nem fazemos resgates de animais.

Sua participação será muito bem vinda!

Claudia Pinelli® e Blog Omnes Angeli®

sábado, 31 de julho de 2010

Casal de pinguins gays adota filhote abandonado



Casal de machos chocou ovo rejeitado pelos pais biológicos em zoo e agora cria filhote adotivo.


Dois pinguins machos "gays" chocaram um ovo abandonado e agora estão criando o filhote como se fossem pais adotivos, informou o zoológico de Bremerhaven, no norte da Alemanha.

O zoológico entregou aos machos Z e Vielpunkt o ovo, que havia sido rejeitado pelos pais biológicos, depois que o casal foi observado tentando chocar uma pedra.

Segundo o zoológico, o casal parece feliz criando o filhote, nascido há quatro semanas.

O zoológico de Bremerhaven ficou conhecido em 2005 por conta de seus planos de "testar" a orientação sexual de pinguins com características homossexuais.

Na época, três casais de pinguins machos foram vistos tentando cruzar um com o outro, e tentando chocar pedras, entre eles Z e Vielpunkt.

O zoológico chegou a providenciar quatro fêmeas em uma tentativa de levar a espécie ameaçada a se reproduzir, mas o plano foi logo abandonado depois de causar revolta entre defensores dos direitos gays, que acusaram o zoo de interferir no comportamento dos animais.

Os seis pinguins "gays" permanecem no zoológico, e segundo a instituição, "Z e Vielpunkt aceitaram o 'presente de Páscoa' e começaram a chocá-lo imediatamente".

"Desde o nascimento do filhote, eles vêm se comportando do modo que você esperaria de um casal heterossexual. Os dois pais felizes passam os dias protegendo, cuidando e alimentando seu filhote adotado."

Os pinguins de Humboldt são normalmente encontrados na costa do Peru e do Chile, mas segundo a agência de notícias AFP, sua população vem decrescendo por causa da pesca intensiva na região.

O comportamento "gay" entre pinguins machos já havia sido observado, inclusive alguns teriam criado filhotes adotivos.

O comportamento homossexual é bastante documentado entre várias espécies animais, mas não é compreendido em detalhes, afirma o professor Stuart West, um biólogo especializado em evolução da Universidade de Oxford.

Segundo West, algumas teorias indicam que a atividade homossexual pode servir objetivos diferentes - no caso dos macacos bonobos, por exemplo, poderia estar relacionada à ligação social e ao estabelecimento da dominância. Em algumas espécies de pássaros, fêmeas se juntam para criar os filhotes.

Outros animais podem simplesmente exibir uma "tendência a acasalar", enquanto outros podem, como seres humanos, gostar de sexo sem fins para procriação.

"A homossexualidade não é incomum entre os animais", declarou o zoológico de Bremerhaven.

"Sexo e acasalamento no nosso mundo não necessariamente têm algo a ver com reprodução."



Fonte: G1



O antigo e gasto contraste Animal X Homem

Aqui o que mais importa não é o fato dos pinguins serem do mesmo sexo ou não. Isso é o de menos! O que ficou mais patente com a situação foi o banho que os animais sempre dão nos humanos. Mais uma vez, eles nos ensinam que há coisas muito mais importantes do que os rótulos que só nós, humanos, nos damos o tempo todo: gays, héteros, gordo, magro, feio, bonito, rico, pobre, burro, inteligente... Os animais não perdem tempo com isso, com essas bobagens. Eles, na sua animalidade, conseguem ser mais humanos que nós.

Ou nós não queremos sempre nos orgulhar por atos heroicos, grandiosos, atitudes generosas e despreconceituosas?

E sempre que há alguma ocorrência em que um ser shumano comete um crime bárbaro, dizemos logo que foi algo irracional, brutal, animalesco.

Analisemos.

O que fazemos de heroico, de grandioso, todas as ações solidárias e humanitárias supostamente já fazem parte da nossa "índole" generosa e altruísta, própria de um ser racional, ou seja, que pensa.

Mas e tudo que fazemos de mal? As crueldades inacreditáveis contra os animais, as atrocidades contra a natureza, os crimes cada vez mais monstruosos uns com os outros, e isso tudo? Ah, isso é algo instintivo, animalesco, irracional.

Pois bem. Da forma que caminha a humanidade, as mudanças estão ocorrendo em todas os aspectos. Nada pára, tudo está em constante movimento, sempre. Para melhor e para pior. E o entendimento dessas coisas é algo cada vez mais complicado, pois geralmente nos foge a análise do lógico, pois não dá mais para descrever exatamente quem é generoso e quem é irracional. E é ululante que está breve o dia em que esses adjetivos mudarão ou no mínimo, transitarão, a sua referência semiótica.

Se é que me entendem...



Claudia Pinelli.

1ª Cãominhada de Camaçari - Bahia



1ª Cãominhada em Camaçari - Bahia.

Amanhã, às 9 h. Endereço acima.

Mais informações pelo telefone: 71 3644 3745.

Compareça!



Obrigada,

Claudia Pinelli.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Conheça os Guardiães de Animais!


Rescue Ink


Agora no canal a cabo National Geographic, o NatGeo, será exibido uma série que mostra homens fortes, enormes cheios de tatuagens que são... Guardiães de Animais!

Isso não é muito bacana?



Bacana por mostrar uma atitude que deve ser copiada por todos que tem amor por animais ou que são sensíveis ao ponti de saber que animais são seres sencientes, misto é sentem as mesmas coisas que nós, humanos, logo, sentem dor, frio, sede, afeição, etc.

E bacana também pois desmistifica essa imagem do motoqueiro rebelde tatuado. Achei o máximo!



Os oito homens cheios de tatoos e montados em suas Harleys fazem parte do grupo de resgate de animais em Nova Iorque.


Os homens que participam do programa não têm medo algum de se utilizar de agressividade (nesse caso, justificável) para evitar qualquer tipo de abuso/sofrimento animal – tudo isso, dentro dos limites da lei, claro.



Resgatam cães de briga, investigam animais roubados e confrontam com aqueles que maltratam animais. Estes homens ajudam desde cães até piranhas.

Eles são ex-bombeiros, fisiculturistas, mecânicos de carros customizados e seguranças. E eles não deixam de usar seus músculos e forças para combater o abuso contra os animais.

Fonte e para ver mais informações: Natgeo





Fiquei amarradona...
Porque homem que é homem não tem frescura e se garante, não é?

A propósito, eu tenho tatoos, será que me deixam entrar nesse grupo??



Claudia Pinelli.

Essa é para quem gosta de animal e de Língua Portuguesa...



Maus-tratos ou maus tratos?

Agora, o Ministério Público de Oeiras, no despacho de acusação, decidiu que Mônica, 26 anos, será julgada pelo crime de maus-tratos por omissão agravada. (Mãe de Daniel no banco dos réus, T. F., Visão, n.º 690, 25 a 31 de Maio de 2006, p. 28).

A suspeita de maus tratos, levantadas por familiares e vizinhos, ou alegada negligência médica da Unidade Local de Saúde (ULS) do Alto Minho estão agora a ser investigadas. (Falta de comunicação ao MP na origem de insólito em Viana., Andrea Cruz, Público, 18.04.2009, p. 18).

Afinal como se escreve?

Rui Gouveia, do Ciberdúvidas, não tem dúvidas: Maus tratos, sem hífen. Por analogia com mau tratamento. No mesmíssimo Ciberdúvidas, o consultor F. V. Peixoto da Fonseca acha que é indiferente: Existe maltreito e maus-tratos (no plural), o primeiro registado por Rebelo Gonçalves e o segundo pelo dicionário Aurélio. É claro que se pode escrever mau trato ou mau tratamento (ambos sem hífen).

Num estudo sobre o projeto Disque-Gramática, do Departamento de Letras Vernáculas e Clássicas da Universidade Estadual de Londrina, lê-se: Aqui também um dicionário bastaria para sanar as dúvidas. No entanto, não raro acontece de haver divergências entre autores. É o caso, por exemplo, de mau-trato (ou mau trato). Enquanto Houaiss (2001) e Ferreira [Aurélio Buarque de Holanda. Aurélio Século XXI: o dicionário da língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira] (1999) apresentam a forma com hífen, Michaelis (1998) não trata essa construção como um vocábulo, pois não a apresente. E Almeida [Napoleão M. Dicionário de Questões vernáculas. 3.ª ed., São Paulo: Ática] (1996) assim assevera: “Não existe um composto, uma só palavra; escreve-se analiticamente, o plural é maus tratos, sem hífen” (p. 335) (Entre a norma e o uso: as dúvidas mais freqüentes de 2007, Fernanda Menezes de Carvalho et al., aqui).

Luiz Antonio Sacconi, professor de Língua Portuguesa na Universidade de São Paulo e autor de várias obras de divulgação sobre a língua portuguesa, também se debruçou sobre a questão, afirmando que maus-tratos (com hífen) é termo eminentemente jurídico e significa crime cometido por aquele que põe em risco a vida ou a saúde de pessoa que está sob sua autoridade, guarda ou vigilância, ao passo que maus tratos (sem hífen) é uma expressão equivalente de sevícias, tormento, flagelo, tortura, mau tratamento, distinção que me parece inteiramente da lavra do autor.

Não há dúvida de que o vocábulo provém da área jurídica, e os vulgares dicionários, como o Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, registam: maus-tratos. Direito: delito praticado por quem põe em risco a vida ou a saúde de uma pessoa que está sob a sua dependência ou guarda, privando-a de alimentos e cuidados indispensáveis, ou exercendo sobre ela qualquer forma de violência (física ou psicológica). Nas traduções, vêem-se ambas as grafias, mas talvez prepondere, tal como na imprensa, a forma com hífen: Para muitos dos povos minoritários que se encontravam sob domínio chinês, levou séculos de maus-tratos e opressão (História da China, Stephen G. Haw. Tradução de Joana Estorninho de Almeida e Rita Graña e revisão de Raquel Mouta. Lisboa: Edições Tinta-da-China, 2008, p. 274). Depois, ele e a Avó queixaram-se dos jovens malfeitores que andavam a aterrorizar o bairro e a infligir maus tratos e abusos às crianças mais novas (Filho de Ninguém, Michael Seed. Tradução de Mário Matos e revisão de Luís Milheiro. 3.ª ed. Lisboa: QuidNovi, 2008, p. 112).

Eu prefiro, se isso interessa, grafar sempre sem hífen, maus tratos.


Helder Guégués


Fonte: Assim Mesmo



Estou com o autor. Prefiro a grafia maus tratos. Sem hífen. Até porque odeio hífen!


Um bjo,


Claudia Pinelli.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Animal não namora, procria, e só!

Veja este vídeo:



Não precisamos fantasiar a respeito dos animais no que se refere a romance.

Os animais não sabem o que é isso. Não sabem o que significa namoro, paixão, essas coisas.

O animal cruza pelo instinto de procriação e de manutenção da espécie.

Não apoiemos esse tipo de prática, pois a cada "namoro", muitos animaizinhos nascem e, se não tiverem um lar para morar, ficarão nas ruas, ou serão levados a abrigos ou CCzs que nada lembram um romance!


Muito obrigada,


Claudia Pinelli.


Fonte Bicho de Rua

sábado, 24 de julho de 2010

Receitas caseiras para o tratamento dos cães



Os remédios naturais podem acabar com diversos tipos de problemas nos cães, como por exemplo: alergia, pulgas, resfriados, ansiedade etc. Abaixo, seguem algumas dicas:

1. Pulgas: chá de arruda. Para repelir pulgas do seu cachorro, pingar uma gota de chá de arruda na pele do animal.

Sarna. Remédio natural: melão amargo (ou melão de são caetano) . É necessário fazer o tratamento por três semanas. Dê um banho normal no cachorro semanalmente, secando com toalha e secador. Posteriormente, aplique o suco puro do melão. Deixe agir por 10 minutos. Atenção: o cachorro não pode lamber, é tóxico! Enxagúe bem e seque.

2. Aumente a imunidade do seu cachorro. Remédio natural: aveia.
Se ele estiver adoentado, misture na ração entre 1 e 2 col. (café, chá, sobremesa ou sopa, conforme o tamanho do cachorro). Mas atenção, a aveia poderá ocasionar diarréia no cão! Nesse caso, use o chá das folhas.

3. Acabe com cólicas e desintoxique seu cachorro. Remédio natural: água de arroz e chá de erva-doce. A água de arroz ajuda a desintoxicar e o chá alivia cólicas. Lave arroz cru (use um copo de água para cada ½ xícara de arroz comum) e separe a terceira passagem da água. Coloque numa seringa sem agulha e dê um pouquinho do líquido várias vezes ao dia. Intercale o remedinho com chá de erva-doce, que alivia as cólicas.

4. Para acalmar cachorros que ficam sozinhos. Remédio natural: folhas de maracujá (passiflora). Numa panela sem tampa, ferva por 10 minutos de 3 a 5 g de folhas de maracujá em 250 ml de água. Quando esfriar, misture esse chá na água que o animal bebe.

5. Espantar parasitas, como pulgas e carrapatos. Remédio natural: arruda.
Primeiramente, prepare uma infusão com 20g de folhas de arruda em 1 litro de água quente (sem ferver) e use como a última água de enxágue. Deixe secar naturalmente. Galhos da erva de santa maria sob a cama deles agem como repelente.

6. Cicatrização mais rápida para pequenos machucados. Remédio natural: couve. Coloque uma folha de couve macerada sobre o ferimento. Mas, se ele insistir em comer o curativo, use o “plano B”: misture 1 parte de tintura de calêndula em 2 partes de água fervida e filtrada e passe no machucado de três a quatro vezes ao dia.

7. Aliviar sintomas de gripes, resfriados e tosses. Remédio natural: guaco.
O veterinário já deu o diagnóstico? Então prepare o xarope: ferva 6 folhas picadas de guaco em ½ litro de água, coe, misture o suco de 1 limão e adoce com 3 col. (sopa) de mel puro. Dê 1 col. (de chá, sobremesa ou sopa, conforme o tamanho do bicho), de três a quatro vezes ao dia.



Fonte: Portal da Cinofilia via ANDAnews

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Os Segredos dos Gatos...



Você, que se considera uma gateira, sabia dessas coisas?


Bjo,




Claudia Pinelli.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

A Bahia já tem um banco de Sangue Veterinário!


HEMODOG - BANCO DE SANGUE VETERINÁRIO

Salvador já tem banco de sangue veterinário.

Eu Amo Animais entrevistou com exclusividade a Dra. Suzana Spínola, médica veterinária (CRMV-BA 1544), membro da ANCLIVEPA-Ba para o triênio 2010/2012, idealizadora e proprietária do Hemodog, Banco de Sangue Veterinário. Esse sonho começou em agosto/2008, e inaugurado em maio/2009. Desde então, vem funcionando regularmente, sendo cada vez mais conhecido e acionado, possibilitando salvar muitas vidas.



Entrevista com a Dra. Suzana Spínola


1. Como tem sido a procura do serviço?

A procura de receptores sempre é maior que a de doadores pois a consciência dos proprietários ainda é pequena.

2. São 13 os tipos sanguíneos caninos. Há maior incidência – e logo maior procura, por determinado tipo?

Existe maior incidência em determinados tipos como o DEA 4. Como o custo para tipificar todos os doadores e receptores é muito elevado, para evitar incompatibilidade fazemos prova de “reação cruzada”.

3. O que é necessário para ser doador? Há riscos na doação?


Basta ter uma boa alimentação, não ter ectoparasitas, ser completamente vacinado e vermifugado, não ter doença alguma, o que se constata nos exames pré-transfusionais clínicos e laboratoriais e pesar a partir de 28 Kg. Em se tratando de doadores saudáveis não há risco nenhum.


4. E no processo de recepção?


A transfusão é um procedimento de urgência, e a decisão é sempre decorrente da necessidade extrema, onde não receber a transfusão implica em maior risco de vida. Caso o receptor seja cardiopata ou nefropata, há maior risco.


5. Existe esse serviço em outras cidades da Bahia?


O Hemodog é o primeiro banco de sangue veterinário da Bahia. No entanto, vale informar que o médico veterinário está habilitado a colher o sangue de um doador quando há um receptor necessitando do mesmo, sempre realizando os exames clínicos e laboratoriais pré-transfusionais do doador.


6. Como é o procedimento de distribuição? Envia para outras cidades?


A entrega de bolsas é feita diretamente na clínica ou consultório que solicitou, em horário comercial. A transfusão também pode ser feita na própria sede do Hemodog, mediante requisição do médico veterinário. Fora do horário comercial pode ser acionado o tlefone 71-9978.2188 e o paciente ou portador será atendido na sede do banco de sangue.
Caso haja pedidos de outras cidades, podemos enviar por transportadora.


7. Quais os custos/preços envolvidos no processo de transfusão?


Tanto para garantir a qualidade do sangue como para estimular a doação, os doadores recebem uma série de avaliações clínicas, totalmente gratuitas. No entanto, para a aquisição de bolsas, o armazenamento, equipamento de transfusão, etc. há um custo. O valor cobrado se refere ao processo e nunca ao sangue – o sangue não tem preço!


8. Como fazer a doação? Quanto tempo dura o processo?


O doador é sempre bem vindo e com ou sem agendamento ele será atendido. O exame clínico dura em média 30 minutos e a coleta de sangue para exames laboratoriais e da bolsa de sangue é cerca de 10 minutos.




Depoimento de Dra. Suzana:

"É um serviço muito gratificante, pois na grande maioria salvam-se vidas. Me sinto muito bem em colher o sangue dos doadores pois esse contato com eles é fantástico. Existe uma energia de amor muito grande entre o doador e mim, pois sempre é frisado que esse ato vai ajudar outro animal e a sintonia é muito boa. É uma verdadeira telepatia que ocorre com o cão e toda equipe de auxílio à coleta. O cão será tratado com o maior carinho, receberá vários benefícios veterinários e sempre tem brindes legais.

Doar sangue é bom e salvar vidas é melhor ainda."

Dra. Suzana Spínola participa essa semana do 31º Congresso Brasileiro da ANCLIVEPA, em Belém/ Pa, de 17 a 20 de abril de 2010.



Banco de Sangue Veterinário Hemodog

Rua dos Radialistas, 209 – salas 1 e 2 – (2º andar da Clínica Veterinária Diagnose Animal) Pituba
Tel.: (71) 3011-6846
Plantão: (71) 9978.2188




Em outros Estados:

Brasília: Centro Veterinário Asa Sul
Homepage: http://www.cvas.com.br/banco_de_sangue.html

Minas Gerais: (Uberlândia) Hospital Veterinário da U. F. Uberlândia
Home: http://www.hospitalveterinario.ufu.br

Rio de Janeiro: Hemoterapet
Home: http://www.hemoterapet.com.br/

São Paulo:: BSVet
Home: http://www.bsvet.com.br/


Esta entrevista foi realizada pela colaboradora Lilia Trigo (Abr/ 2010).



Fonte: EuAmoAnimais



Um abraço,


Claudia Pinelli.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Roque'n'roll!!

Este é o Roque.



Roque foi abandonado na Praça da Caixa D´água, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

Tomou muita chuva e passou fome na rua.

Até que um dia, como por milagre, ele foi recolhido da rua por um anjo.


Roque é um cão ideal:

É jovem, mas não é um bebê.

É educado, meigo, amoroso.

E vamos combinar: é muito fofo!


Está sendo cuidado por uma protetora, mas não poderá ser adotado por ela.



Palavras do Roque:


"Não tenho família, nem casa...

Mas sou muito bacaninha, meigo, amoroso.

Por isso, porque sou um cãozinho meigo e querido, não mereço ficar sozinho.

Se alguém aí tiver um cantinho para me abrigar, serei eternamente grato."



Como não se apaixonar por um fofo como esse?

Para saber notícias do Roque e para levar esse peludão para ser a alegria da sua casa, entre em contato com Rafaela Milani pelo Email: milanirafaela@hotmail.com ou pelo Telefone: (51) 3330-5045


Vamos arrumar um lar quentinho e aconchegante para o nosso Roque'n'roll??



Muito obrigada,


Claudia Pinelli.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Incrível!!

Incrível!

Aconteceu no Sul da Bahia em Ilhéus.

Isto é realmente fantástico... Uma cena rara...

Um grupo de cães imobilizou um jacaré que tinha entrado no quintal de uma residência.

O Jacaré, que habitualmente está no topo da cadeia alimentar, foi subjugado pelo esforço conjunto dos cães, que assumiram um comportamento de matilha.

Enquanto um cão mordia o pescoço do jacaré, os demais cães impediam que o animal rolasse, imobilizando o jacaré em poucos minutos.


A foto não deixa mentir...



Essa foi só para rir um pouco, em meio a tanto abandono, maustratos, tutores irresponsáveis, etc.


Um bjo,


Claudia Pinelli.

Plaquinha de identificação! Seu amigo tem?



É necessário que seu amigo peludinho tenha uma plaquinha de identificação em que esteja o nome dele, o seu, e dados do contato para que, caso ele se perca ( e acredite, isso pode acontecer com todo mundo), quando encontrado, seja devolvido sem problemas.

Coloque a plaquinha no seu animalzinho.

Grata,


Claudia Pinelli.




Imagem tirada do site: www.cachorralandia.nafoto.net

domingo, 18 de julho de 2010

Os dez pedidos de um cão!




Se um cão falasse a nossa língua, esses seriam os 10 pedidos que ele faria para nós, humanos.

Bjo,



Claudia Pinelli.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Rock'n'Roooooooooll!!

(Foto: AP)

El Juli, tadinho, é atingido por touro nesta segunda-feira (12), numa arena em Pamplona.

E eu fiquei super triste...
Olha a minha cara de tristeza:

Roquenrrou!!!


No dia do Rock, nada melhor que uma cena de rebeldia com causa como essa!!



Fonte: G1



Um bjo,


Claudia Pinelli.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

A Ponte do Arco-Íris

Para todos aqueles, que assim como eu, já tiveram animais maravilhosos em suas vidas, e um dia, tristemente, sentiram a dor dessa perda.

Tente não chorar...


A Ponte do Arco-Íris

Bem do ladinho do céu
tem um lugar chamado Ponte do Arco-Íris.

Quando morre um animal
que foi especial para alguém daqui,
esse animal vai para Ponte do Arco-Íris.

Lá, existem riachos e colinas
para que todos os nossos amigos
possam correr e brincar juntos .
Tem muita comida, água e sol,
e nossos amigos estão quentinhos e confortáveis.

Todos os animais
que estavam velhos e doentes
voltaram a ter vigor e saúde;
aqueles que estavam machucados ou aleijados
estão inteiros e fortes novamente,
exatamente como nas nossas lembranças
dos tempos que já se foram.
Os animais estão felizes e contentes,
exceto por uma coisinha:
cada um deles sente falta de alguém
muito especial,que teve que ficar para trás.

Todos correm e brincam juntos,
mas chega o dia quando um subitamente pára
e olha para longe… Seus olhos brilhantes estão atentos;
seu corpo treme de ansiedade.
De repente ele começa a correr para longe do grupo,
voando sobre o gramado verde,
suas pernas indo mais e mais rápido.

Você foi avistado,
e quando você e o seu amigo finalmente se encontrarem,
vocês se abraçam numa reunião feliz,
para nunca serem separados novamente.
Os beijos alegres chovem sobre o seu rosto;
suas mãos afagam de novo a cabeça amada,
e você pode olhar mais uma vez nos olhos
confiantes do seu amigo, ausentes há tanto tempo
da sua vida, mas nunca longe do seu coração.

Aí vocês cruzam juntos a Ponte do Arco-Íris…


Autor desconhecido


Conseguiu?


Eu não.



Bjo,


Claudia Pinelli.

domingo, 11 de julho de 2010

Os animais não votam, mas nós sim!



“Eles não votam, mas nós sim. Políticas públicas para eles também!”


Esse é o slogan da nova campanha do movimento de defesa animal.

A idéia é colar os adesivos na maior quantidade de carros e começar a pressão para as próximas eleições.

Os defensores querem lembrar que os candidatos devem apresentar políticas e propostas para os animais também, como cães, gatos e equídeos. Para eles, ganha ponto – ou voto – quem defender e ajudar a executar políticas como a identificação por chips em animais, as campanhas educativas pela guarda e de adoção.

A iniciativa é das entidades de defesa animal e conta com a coordenação da Aadama.


Os interessados podem solicitar um modelo ou ver como agir pelo email: aadama@br.inter.net.


Fonte: Diário de Pernambuco




Vamos participar!


Obrigada,


Claudia Pinelli.


quarta-feira, 7 de julho de 2010

Uma esperança para nossa raça...



Maddison Biddlecombe quer levantar R$ 11 mil para fazer operação em animal que nasceu com focinho e mandíbula deformados.


Uma garota de seis anos está fazendo uma campanha para arrecadar recursos para uma operação que pode salvar a vida de seu pônei, que nasceu com o rosto deformado.

Diego, o filhote de cinco meses, nasceu com o focinho e a mandíbula deformados. Ele tem dificuldades de respirar e, no futuro, poderia ter a sua capacidade de se alimentar de grama comprometida.

Outros donos de animais recomendaram à família Biddlecombe, de Southampton, no sul da Inglaterra, sacrificar o animal. Mas Diego caiu nas graças da filha de seis anos da dona, Maddison.

"Ele tem o rosto feio e me ama", disse Maddison ao jornal local "Echo News", quando questionada por que se afeiçoou ao pônei de maneira especial. "Ele me beija e faz carinho."

A operação para consertar o defeito de nascença, que faz com que a parte inferior e superior da mandíbula cresçam para o lado, custa quatro mil libras esterlinas (cerca de R$ 11 mil).

A mãe de Maddison, Janey, conta que no início procurou outros donos de animais para discutir o problema e ficou assustada com a solução de sacrificar Diego, repetida por vários proprietários.

"Algumas pessoas nos dizem para dar uma chance a Diego, mas outras nos recomendam sacrificá-lo unicamente por causa de sua aparência", afirmou Janey ao jornal.

"Não há a menor possibilidade de sacrificá-lo, a não ser que ele esteja sofrendo."



Fonte: Estadão




Ainda há esperança para os Homens...


Um beijo,



Claudia Pinelli.

Remédio caseiro para Cinomose



"Seu cão pode ser ajudado até no estágio avançado da doença. 

O que fazer: 

Faça um suco de 6 a 8 quiabos crus com 600 ml de água ou de leite batido no liquidificador. (Dê preferência para a água.)

Bata até formar um líquido homogêneo. 

Abra a boca do animal e despeje o máximo que conseguir do suco. Quanto mais, melhor! 

Faça isso umas 2 ou 3 vezes ao dia. 

É certo que ele, em seguida (dois a três dias, se não menos) se levantará com uma fome enorme e logo você o verá todo animado. 

Ajude a divulgar esse remédio para outras pessoas."





Achei essa receita caseira de remédio para Cinomose não lembro mais onde e decidi postar.

Creio que se não fizer bem, mal também não fará.

E ver um animal com cinomose não é nada agradável. Portanto, não custa nada tentar.

Porém, a decisão de usar ou não a receita fica por sua conta e risco.

Mas só para lembrar: o que um tutor responsável não pode deixar de fazer é levar seu animal ao veterinário periodicamente e vaciná-los. Isso já evita essa doença infeliz.



Obrigada,



Claudia Pinelli.

Como você pode?




Como você pode?

Quando era um filhote, eu o distraia com minhas travessuras e o fazia rir.

Você me chamava de sua criança e, apesar de um certo número de sapatos mascados e um par de almofadas destruídas, eu me tornei sua melhor amiga.

Sempre que eu fazia algo errado, você chacoalhava seu dedo para mim e dizia: "Como você pôde" - mas depois você se arrependia e me rolava no chão para me coçar a barriga.

Meu treinamento demorou um pouco mais do que o esperado porque você estava ocupado demais, mas, juntos, nós conseguimos dar um jeito...

Eu me lembro daquelas noites em que me aninhava a você na cama e ouvia suas confidências e sonhos secretos - e acreditava que a vida não poderia ser mais perfeita.

A gente fazia longos passeios e corridas no parque, andava de carro, e parava para um sorvete (eu ganhava só a casquinha porque "sorvete não faz bem para cães" você dizia) e eu tirava longos cochilos ao sol enquanto aguardava sua volta para casa ao final do dia.

Aos poucos você passou a gastar mais tempo no trabalho e com sua carreira e levava mais tempo procurando por uma companheira humana.

Eu esperei por você pacientemente, confortei-o em suas mágoas e desilusões, nunca o repreendi por suas escolhas ruins, e vibrei de alegria nas suas vindas para casa e quando você se apaixonou...

Ela, agora sua esposa, não é uma "apreciadora de cães" - ainda assim eu a recebi em nossa casa, tentei mostrar-lhe afeição, e a obedeci. Sentia-me feliz porque você estava feliz.

Então vieram os bebês humanos e eu reparti com você o entusiasmo. Eu estava fascinada por seus tons rosados, seu cheiro, e queria muito cuidar deles também. Mas ela e você tinham medo de que eu pudesse machucá-los, e eu passei a maior parte do tempo sendo banida para outra sala, ou para a casinha de cachorro..

Oh, como eu queria tê-los amado, mas eu me tornei uma "prisioneira do amor."

À medida que foram crescendo, me tornei amiga deles. Eles se agarravam ao meu pêlo e se levantavam sobre perninhas trôpegas, enfiavam os dedos em meus olhos, examinavam minhas orelhas, e davam beijos em meu nariz. Eu adorava tudo isso, e o toque de suas mãozinhas - porque o seu toque agora era tão raro - e eu os teria defendido com minha própria vida, se fosse preciso.

Eu me esgueirava para suas camas e escutava suas inquietações e sonhos secretos, e juntos esperávamos pelo barulho de seu carro no caminho.

Houve um tempo, quando alguém perguntava se você tinha cachorro, em que você tirava uma foto minha de sua carteira e contava histórias sobre mim. Nos últimos anos você apenas respondia "sim" e mudava de assunto.

Eu passei de "seu cão" para "apenas um cachorro" e você reclamava de cada gasto que tinha comigo.


Agora você tem uma nova oportunidade de carreira em outra cidade, e vocês irão se mudar para um apartamento onde não permitem animais. Você tomou a decisão acertada para sua "família", mas houve um tempo em que eu era sua única família.

Fiquei excitada com o passeio de carro até que chegamos ao abrigo de animais. O local tinha cheiro de gatos e cães, de medo, de desesperança. Você preencheu a papelada e disse "Sei que vocês encontrarão um bom lar para ela"... Eles deram de ombros e lançaram a você um olhar compadecido. Eles compreendem a realidade que espera um cão de meia idade, mesmo um com "papéis".

Você teve que desgarrar os dedos de seu filho de minha coleira enquanto ele gritava "Não, papai! Por favor, não deixe que levem meu cão!". E eu me preocupei por ele, e com a lição que você tinha acabado de lhe dar sobre amizade e lealdade, sobre amor e responsabilidade, e sobre respeito por todo tipo de vida.

Você deu um afago de adeus em minha cabeça, evitou meu olhar e, polidamente, recusou levar minha coleira e guia com você. Você tinha um tempo-limite para encarar e agora eu também tenho um.

Depois que você partiu as duas simpáticas senhoras que o atenderam comentaram que você provavelmente soube meses atrás da mudança que ocorreria e não fez nenhuma tentativa de encontrar um novo lar para mim.

Elas sacudiram a cabeça e disseram "Como você pôde?".

Elas são tão atenciosas para nós aqui no abrigo quanto seus ocupados horários permitem. Elas nos alimentam, é claro, mas eu perdi meu apetite dias atrás. De início, sempre que alguém passava pelo meu alojamento, eu corria para a frente, na esperança de que fosse você - que você tivesse mudado de idéia - que isto fosse tudo um sonho mau.... ou eu esperava que ao menos fosse alguém que se importasse, alguém que pudesse me salvar.

Quando percebi que não poderia competir com os alegres filhotes, inconscientes de seus próprios destinos, nas brincadeiras para chamar atenção, afastei-me para um canto distante, e aguardei.

Ouvi seus passos quando ela veio até mim ao final do dia, e a segui ao longo do corredor para uma sala separada. Uma sala deliciosamente silenciosa. Ela me colocou sobre a mesa, acariciou minhas orelhas, e disse-me para eu não me preocupar. Meu coração se acelerou na expectativa do que estava para vir, mas havia também uma sensação de alívio. A prisioneira do amor havia esgotado seus dias.

Como é de minha natureza, estava mais preocupada com ela. O fardo que ela carrega é demasiado pesado, e eu sei disso, da mesma maneira que conhecia cada um de seus humores. Ela gentilmente colocou um torniquete em volta de minha perna dianteira, enquanto uma lágrima corria por sua face. Lambi sua mão do mesmo modo como costumava fazer para confortar você há tantos anos.

Ela habilmente espetou a agulha hipodérmica em minha veia. Quando senti a picada e o líquido frio se espalhou através de meu corpo, deitei a cabeça sonolenta, olhei dentro de seus olhos gentis e murmurei "Como você pôde?".

Talvez por ter entendido meu linguajar canino, ela disse "Sinto tanto!", abraçou-me e apressadamente explicou que era seu trabalho fazer com que eu fosse para um lugar melhor onde não seria ignorada, ou maltratada ou abandonada, nem ter que me virar para sobreviver - um lugar de amor e luz, tão diferente deste lugar terrestre.

E com minha última gota de energia tentei transmitir -lhe com uma sacudidela de minha cauda que meu "Como você pôde?" não era dirigido a ela.

Era em você, Meu Amado Dono, que eu estava pensando. Pensarei em você e esperarei por você eternamente.

Possa alguém em sua vida continuar a demonstrar-lhe tanta lealdade.

(Desconheço a autoria)



Este texto me comoveu demais desde a primeira vez que li. Talvez porque é realmente tocante e triste ou ainda, quem sabe, porque estou muito sensível (por causa de casos realmente escabrosos que tenho enfrentado nos últimos dias e postado aqui, no Twipic e no Twitter) o que me faz ficar um pouco desequilibrada emocionalmente.

Porém, dessa tristeza suscitada pelo texto, algo deve ser encarado como fato: precisamos conversar com todas as pessoas que estão ao nosso lado com relação ao abandono de animais.

Primeiro, mostrar a importância de um programa de castração e de adoção ao invés da compra de animais.

Conscientizá-las também de que quando uma pessoa se dispõe a adotar ou até mesmo comprar um animal, deve ter em mente que isso será pelo resto da vida daquele ser. E que este não poderá ser abandonado assim que perca a graça de filhote, adoeça ou envelheça. Ou, na pior das hipóteses, no caso de você, porventura, se mudar para um imóvel menor. Nada, mas nada justifica o abandono de um animal que já fazia parte da sua família!

Quando esse absurdo passar pela sua cabeça, pare e reflita: e se fosse você, gostaria de ser abandonado cego ou doente em um matagal, ser deixado em um abrigo apenas porque perdeu a graça ou envelheceu, ou ainda ser levado para tomar uma picadinha mortal?

Pratique o altruísmo! Coloque-se no lugar daquele animal e perceba o sofrimento que esse abandono causa...

Pense nisso!


Obrigada,


Claudia Pinelli.

Direitos Universais dos Animais

Direitos Universais dos Animais



1 - Todos os animais têm o mesmo direito à vida.

2 - Todos os animais têm direito ao respeito e à proteção do homem.

3 - Nenhum animal deve ser maltratado.

4 - Todos os animais selvagens têm o direito de viver livres no seu habitat.

5 - O animal que o homem escolher para companheiro não deve nunca ser abandonado.

6 - Nenhum animal deve ser usado em experiências que lhe causem dor.

7 - Todo ato que põe em risco a vida de um animal é um crime contra a vida.

8 - A poluição e a destruição do meio ambiente são considerados crimes contra os animais.

9 - Os direitos dos animais devem ser defendidos por lei.

10 - O homem deve ser educado desde a infância para observar, respeitar e compreender os animais.



Preâmbulo:

Considerando que todo o animal possui direitos;

Considerando que o desconhecimento e o desprezo desses direitos têm levado e continuam a levar o homem a cometer crimes contra os animais e contra a natureza;

Considerando que o reconhecimento pela espécie humana do direito à existência das outras espécies animais constitui o fundamento da coexistência das outras espécies no mundo;

Considerando que os genocídios são perpetrados pelo homem e há o perigo de continuar a perpetrar outros;

Considerando que o respeito dos homens pelos animais está ligado ao respeito dos homens pelo seu semelhante;

Considerando que a educação deve ensinar desde a infância a observar, a compreender, a respeitar e a amar os animais,



Proclama-se o seguinte:


Artigo 1º

1.Todos os animais nascem iguais perante a vida e têm os mesmos direitos à existência.



Artigo 2º

1. Todo animal tem o direito a ser respeitado.

2. O homem, como espécie animal, não pode exterminar os outros animais ou explorá-los violando esse direito; tem o dever de pôr os seus conhecimentos ao serviço dos animais.

3. Todo animal tem o direito à atenção, aos cuidados e à protecção do homem.



Artigo 3º

1. Nenhum animal será submetido nem a maus-tratos nem a atos cruéis.

2. Se for necessário matar um animal, ele deve ser morto instantaneamente, sem dor e de modo a não lhe provocar angústia.



Artigo 4º

1. Todo o animal pertencente a uma espécie selvagem tem o direito de viver livre no seu próprio ambiente natural, terrestre, aéreo ou aquático e tem o direito de se reproduzir.

2. Toda a privação de liberdade, mesmo que tenha fins educativos, é contrária a este direito.



Artigo 5º

1. Todo animal pertencente a uma espécie que viva tradicionalmente no meio ambiente do homem tem o direito de viver e de crescer ao ritmo e nas condições de vida e de liberdade que são próprias da sua espécie.

2. Toda a modificação deste ritmo ou destas condições que forem impostas pelo homem com fins mercantis é contrária a este direito.



Artigo 6º

1. Todo o animal que o homem escolheu para seu companheiro tem direito a uma duração de vida conforme a sua longevidade natural.

2. O abandono de um animal é um ato cruel e degradante.



Artigo 7º

1. Todo o animal de trabalho tem direito a uma limitação razoável de duração e de intensidade de trabalho, a uma alimentação reparadora e ao repouso.



Artigo 8º

1. A experimentação animal que implique sofrimento físico ou psicológico é incompatível com os direitos do animal, quer se trate de uma experiência médica, científica, comercial ou qualquer que seja a forma de experimentação.

2. As técnicas de substituição devem de ser utilizadas e desenvolvidas.



Artigo 9º

1. Quando o animal é criado para alimentação, ele deve de ser alimentado, alojado, transportado e morto sem que disso resulte para ele nem ansiedade nem dor.



Artigo 10º

1. Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem.

2. As exibições de animais e os espectáculos que utilizem animais são incompatíveis com a dignidade do animal.



Artigo 11º

1. Todo o ato que implique a morte de um animal sem necessidade é um biocídio, isto é um crime contra a vida.



Artigo 12º

1. Todo o ato que implique a morte de grande número de animais selvagens é um genocídio, isto é, um crime contra a espécie.

2. A poluição e a destruição do ambiente natural conduzem ao genocídio.



Artigo 13º

1. O animal morto deve ser tratado com respeito.

2. As cenas de violência de que os animais são vítimas devem de ser interditas no cinema e na televisão, salvo se elas tiverem por fim demonstrar um atentado aos direitos do animal.



Artigo 14º

1. Os organismos de protecção e de salvaguarda dos animais devem estar representados a nível governamental.

2. Os direitos do animal devem ser defendidos pela lei como os direitos do homem.



A Declaração Universal dos Direitos do Animal foi proclamada na UNESCO em 15 de Outubro de 1978.





Protetor que é protetor sabe os direitos dos animais de cor.



Beijo,


Claudia Pinelli.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Sábias Palavras!



Sugerido pela Fábia Fabri Mazza. Perfil no Twitter @FábiaFabriMazza.



Lindas imagens recheadas por palavras de muita sabedoria sobre a vida animal e a relação do Homem com eles.



Espero que gostem!




Claudia Pinelli.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Para quem ama animais...

Cachorro



Por Stella Benevides

Não faz muito tempo, falei aqui sobre os carroceiros da cidade e seus cachorros, anjos de fidelidade que não abandonam seus companheiros por nada e que, por não terem consciência do que é “pobreza”, vivem tão ou mais felizes do que um cachorro de madame. Falei também que essa gente e esses cachorros são “invisíveis” pra maioria das pessoas.

Acho que vocês se lembram.
Se não lembram, entendem o que eu estou dizendo.

Pois é.

Acontece que eles são invisíveis. Mas experimente dar publicamente alguma atenção a eles pra ver se um monte de gente não vai te notar.



Eu dou atenção. Passo quase toda tarde ali, embaixo do viaduto onde eles se reúnem. Conheço todos pelo nome, tanto carroceiros quanto cachorros. Os cães, pego no colo, arranco carrapatos com a unha, dou comida na boca.

Pior são os que vivem sozinhos pela rua, nas praças e nos parques, que nem um carroceiro como protetor têm. São todos vítimas de abandono ou, na melhor das hipóteses, de negligência. Sim, porque cachorro não brota da terra, feito grama, né? Se ele está ali, a culpa é de alguém.



Também cuido de alguns assim. Às vezes levo no veterinário, já paguei tratamentos e castrações. Ninguém me pede. Ninguém me dá prêmio e nem me entrevista pra TV por isso. Faço porque eu quero e não faço questão que ninguém saiba. Aliás, até resisti um pouco a escrever sobre isso. Não quero posar de boazinha. Quem me conhece e quem me lê, sabe que “boazinha” é tudo o que, definitivamente, eu não sou.

Mas como eu disse, quando você dá atenção aos seres invisíveis, é como se um holofote mirasse bem na sua cabeça.

Tem gente que passa e olha rapidinho, meio de lado, com a cara torta e eu posso quase ouvir o pensamento dizendo: “Velha maluca, passando a mão nesse vira-lata, credo”. Tem gente que passa com um sorriso complacente, que eu nunca sei se é de aprovação ou de pena, nem se é pena do cachorro ou de mim, por também me achar meio maluca. Tem um ou outro que acha bonito e vem dizer que acha bonito. Tem até gente que eu já conheci fazendo a mesma coisa que eu: e desses eu quero ficar amiga na hora, sem saber quem é, o que faz e o que pensa sobre todas as outras coisas do mundo. Só isso já me basta pra querer amizade com alguém.

Mas tem também um ou outro filho-da-puta que fica indignado e se acha no direito de protestar. É. Tem. Gente que se acha o supra-sumo da cidadania, o topo da cadeia alimentar, que não quer nem saber de onde o problema vem, nem de pra onde o problema vai. Só querem não ver o problema. Gente que diz:

- A senhora fica dando comida pra esses cachorros, é por isso que eles não saem daqui!

Esses falam isso só uma vez. Pelo menos pra mim, só uma vez. Porque olham pra um dedo apontado pra cara deles e ouvem um sermão que inclui rápidas citações a personagens históricos bacanas, como Adolf Hitler e expressões como “higienismo”. Não tenho certeza se entendem a mensagem. Mas saem resmungando e nunca mais me enchem o saco.


Mas tem um tipo que é, de longe, o pior de todos.

- Por que em vez de perder tempo com esse vira-lata a senhora não ajuda uma criança?

O pior tipo é o que diz isso, se achando cheio de razão. Um verdadeiro clichê de hipocrisia! Porque quem diz isso, você pode ter certeza absoluta, não ajuda nem cachorro e muito menos criança!

E eu ouvi isso de duas velhas um dia desses, domingo, fim de tarde. Antes de olhar pra elas eu já as queria esganar. E quando eu notei que as duas carregavam Bíblias, precisei me segurar pra não voar nos pescoços enrugados delas. Deviam estar indo lá pro culto, pra falar de Jesus pra cá e Jesus pra lá. E desconhecem o sentido prático mínimo daquilo que dizem pregar.

Pra ficar claro: não tenho nada contra quem carrega Bíblia. Seja o velho ou o novo testamento. Carregando ou não um terço junto. Como não tenho nada contra quem carrega o Alcorão, a Torá ou o Livro dos Espíritos. Mas tenho tudo contra patifes abrigados sob a aura de “santificação” de todas as religiões, seitas e congêneres. E, em todas elas, há patifes. Ô, se há!



O negócio é o seguinte. Essa história de “ajudar o próximo”, seja lá quem for o próximo, antes de mais nada não pode ser regra, nem obrigação. Isso é uma coisa que vem de dentro, que a pessoa só tem que fazer se sentir vontade verdadeira. E que cada um faça aquilo pelo que o coração bate. E para o que tem aptidão! Tem gente que cuida de criança, tem gente que dedica tempo pra idosos nos asilos, não tem? Tem. Tem gente que socorre viciados em crack, tem gente que dá assistência a detentos, não tem? Tem. Tem gente que vai aos hospitais de crianças com câncer, brincar com elas e contar histórias, não tem? Tem. A Karina Lima faz isso. Não é o máximo? É, é!



Eu recolho gatos e cuido de cachorros de rua, não posso?

E tem uma coisa que eu acho muito curiosa hoje em dia. Fala-se muito em “ecologia”, né? O tempo todo, em toda parte, em todos os canais da tal da “mídia”. Qualquer amebinha com dois neurônios se diz ecologista! Muita gente preocupada com o mico leão dourado, com os pandas que vivem lá no cu do mundo. Muita gente querendo salvar o planeta, divulgando coisas imbecis como fazer xixi no banho pra não gastar água (!) e um monte de retardados levando a sério (!!). Gente que acredita nas abobrinhas sobre o tal do “aquecimento global”, ô inferno, que tédio!

Mas eu sei que tem muito ecologista de boutique hoje em dia que é incapaz de socorrer um cachorro com ferido ou com fome. São os revolucionários de poltrona. Um bando de hipócritas.

Também não consigo entender o que vai na cabeça de uma pessoas que compra um cachorro! Eu até, com algum esforço, entendo quem vende. Bem ou mal a pessoa está trabalhando, ganhando seu sustento. E isso, justamente, só porque há quem compra! Mas um pai ou uma mãe, que compra um cachorro pro filho, pra começar – e só pra começar – não está ensinando nada que preste pra criança! Porque você pode comprar um videogame, uma bola, uma bicicleta. Mas não um amigo!

E nem me venha você com aquela ladainha de que nada adianta cuidar de meia dúzia de cachorrinhos, que isso é um problema de todas as cidades, que eu estou enxugando gelo, que quem deveria cuidar disso é o “governo” e blábláblá. Eu faço o que eu posso. Eu faço onde os meus olhos alcançam. Eu mudo alguma coisa, pelo menos, em volta de mim.

E você, que não faz nada?





Achei esse texto no blog Mulherices e gostei demais!

Se ela não tivesse escrito esse texto, certamente eu teria. rs.

Vale a pena ler!


Muito bom, não é?




Bjo,



Claudia Pinelli.

Festa Canina na Bahia!!



8º Circuito Baiano de Cães

O CLUBE BAIANO DE CINOFILIA tem o prazer de convidá-los para participar, no dia 24 de Julho de 2010, na cidade de Salvador, a partir das 10 h, no Shopping Paralela – Av. Luis Viana Filho, dos nossos eventos:

18ª Exposição Panamericana

19ª Exposição Panamericana

20ª Exposição Panamericana


INSCRIÇÕES

CBC – Shopping São Cristóvão, Loja 123, São Cristóvão, Salvador - BA.

Tel/Fax: (71) 3365-0308

Segunda à Sexta-Feira, das 13 às 18 h e Sábado das 09 às 17 h.



E-mail – clubecbc@yahoo.com.br


Espero você lá!


Claudia Pinelli.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails

Nota de Esclarecimento:

Não é prática do blog Omnes Angeli realizar doações, sendo facultado, caso extremamente necessário, a criação de vaquinhas para a ajuda de um animal em estado muito grave.

Neste caso, a entrega do dinheiro será claramente divulgado no blog.

A sua proposta principal é a de repassar casos de urgência, notícias, eventos e tudo aquilo que tiver alta relevância para a causa animal.

Os animais citados são de responsabilidade das pessoas informadas no corpo do texto.

Se tiver interesse em adotar ou realizar doações, entre em contato com os responsáveis através dos telefones, sites e endereços constantes no post.

Ah, e se souber do final feliz de alguma história postada aqui, por gentileza, divida essa alegria conosco.

E por fim, os textos enviados para o blog serão, ocasionalmente, corrigidos por mim, para que tenham a clareza necessária a uma compreensão livre de dúvidas, sendo mantido intacto, entretanto, o seu teor original.


Obrigada pela compreensão,


Claudia Pinelli.

Amigo não se compra! Amigo não se abandona!

Amigo não se compra! Amigo não se abandona!

Milla e Aumiguinhos...

Angelis - Libera

Sanctus Dominus

Angeli, domini, psallite
Sancti angeli, cante domino

Angeli, domini, archangeli
Sancti angeli, laudate dominum

Servite dominum de coelis
Laudate eum in excelsis
Cantate eum omnes angeli
Omnes angeli

Sanctus, Sanctus, Sanctus
Sanctus, Sanctus, Sanctus

0 galinhas
0 perus
0 patos
0 porcos
0 bois e vacas
0 ovelhas
0 coelhos
0

Número de animais mortos no mundo pela indústria da carne, leite e ovos, desde que você abriu esta página. Exceto animais marinhos.

Calcule a idade de seu animal!

Calcule a idade de seu animal!